Benner Software de gestão para revolução do seu negócio

centro de distribuição: mulher em frente a caixas de papelão
25 de agosto de 2021

Como funciona um centro de distribuição: 5 dicas para o setor logístico

labpersona

A logística é essencial para o sucesso de um negócio – isso não é novidade para ninguém. No entanto, alguns esquecem que um dos pilares fundamentais de uma logística eficiente é o centro de distribuição. Em especial no atual cenário de ascensão das vendas do e-commerce. Mas como funciona um centro de distribuição?

Neste artigo, responderemos essa pergunta. Além disso, mostraremos a importância, as vantagens e dicas para a otimização de um centro de distribuição. Acompanhe os próximos tópicos!

Entenda melhor o conceito e como funciona um centro de distribuição

Em termos simples, o centro de distribuição (CD) é uma estrutura moderna de armazenagem. Dizemos estrutura moderna porque o CD difere dos tradicionais locais de armazenagem na sua operacionalização. Esses, no geral, são simples depósitos para a acomodação de mercadorias e materiais.

Por outro lado, o centro de distribuição é uma forma estratégica de alocação de produtos. Como assim? Se bem estruturado, o CD se torna um ponto estratégico entre os fornecedores, a separação e o envio de itens aos clientes. Dessa forma, a empresa ganha agilidade e eficiência na coleta e no despacho de mercadorias.

Um fator de grande importância para  entender como funciona um centro de distribuição é a localização. Dependendo do endereço, o CD ajuda na captação de mercadorias de diversos fornecedores. Isso gera diversidade no estoque. Outro benefício de uma boa localização é a redução do tempo de entrega de produtos para os clientes.

Funções de um centro de distribuição 

Quando um produto chega ao centro de distribuição por meio de uma transportadora, é recebido e conferido com base nos documentos fiscais. Caso alguma mercadoria não esteja em conformidade com os pedidos, o fornecedor é comunicado para a realização de uma troca ou reposição.

Após essa etapa, as mercadorias são encaminhadas para o setor de armazenagem (também conhecido como picking). Nesse local, os produtos são alocados ou seguem direto para o cliente. Quando acontece essa última situação, o centro de distribuição segue com o processo de crossdocking que visa reduzir estoques e custos de armazenagem.

Em contrapartida, os produtos que serão armazenados são desmembrados, conferidos e segmentados por modelo ou código. Em seguida, as mercadorias são identificadas com um endereço ou localização dentro do CD, onde permanecem até serem solicitadas por meio de um pedido de vendas.

Principais etapas

Como explicado no tópico anterior, nos centros de distribuição, acontecem algumas atividades básicas. A seguir, detalhamos melhor cada uma delas.

Recebimento

Toda a cadeia de operações de um centro de distribuição começa pelo recebimento de produtos ou mercadorias. Na verdade, essa fase é a base para a efetivação de todas as outras etapas gerenciadas no CD. Durante o recebimento, ocorrem as seguintes demandas:

  • Descarga dos produtos vindos dos fornecedores;
  • Checagem da quantidade e da condição dos itens recebidos;
  • Lançamento das informações no Warehouse Management System (WMS) ou Sistema de Gerenciamento do Armazém;
  • Atualização do estoque;
  • Acomodação e localização dos produtos no estoque.

Movimentação

A fase de movimentação de produtos abrange desde o recebimento até a entrega ao cliente final ou a outras distribuidoras. Quando falamos de movimentação interna, nos referimos às demandas de recebimento, conferência e alocação dos itens no estoque. Nesse contexto, se inclui também a reorganização de mercadorias estocadas para a otimização dos espaços.

Já a movimentação externa engloba o transporte dos produtos do centro de distribuição para o destino final. Podemos dizer que a etapa da movimentação é uma das mais custosas de um centro de distribuição. Uma vez que, depende de mão-de-obra, gerenciamento do tempo, bem como a possível perda ou avaria em mercadorias.

Para reduzir esses e outros gastos, muitas empresas da área da logística têm investido em tecnologias para a movimentação e o manuseio de mercadorias. Dessa forma, os negócios geram também eficiência e qualidade nos serviços.

Guarda e armazenagem

O centro de distribuição necessita de um bom processo de guarda e armazenagem para evitar falhas entre a oferta e a demanda de mercadorias. Para haver um equilíbrio, o CD precisa reduzir os estoques, encontrar bons fornecedores, investir em equipamentos e administrar bem os prazos de entrega e envio de produtos.

No aspecto estrutural, a área de armazenagem do centro de distribuição deve contar com:

  • Estantes e racks;
  • Porta-paletes;
  • Drive-in;
  • Corredores sinalizados.

Separação de pedidos

A fase de separação de pedidos (picking) é essencial para o sucesso no relacionamento com o consumidor. Quando esse processo é realizado com eficiência, o negócio evita reclamações, processos judiciais e a insatisfação dos clientes.

O segredo para a otimização desta etapa do centro de distribuição está na implantação de tecnologias e estratégias que diminuam o tempo entre o deslocamento de operadores e a separação de pedidos. Entre as boas práticas, estão: endereçamento lógico, rotas inteligentes para a coleta de itens e técnicas de estocagem.

Expedição

Essa é a fase final da cadeia de atividades e um ponto essencial para se entender como funciona um centro de distribuição. Entre as tarefas mais importantes, estão a verificação e a conferência dos itens a serem enviados. Em seguida, os produtos são embalados, visando a segurança deles durante o trajeto até o cliente. O próximo passo envolve gerar a documentação e acionar a transportadora para a coleta.

Com a ajuda de tecnologias de alto desempenho, o CD realiza de maneira automatizada todos os processos da fase de expedição. Por outro lado, sem as ferramentas e estratégias certas, essa operação pode:

  • Sofrer atrasos com o transporte;
  • Ter problemas na emissão de notas fiscais de saída e na lista de separação de mercadorias,
  • Gerar uma falta de sincronia entre o recebimento e a expedição de crossdocking;
  • Obter picos de demandas não planejadas.  

A importância e os tipos de layout

O layout é a maneira como os elementos são distribuídos em um determinado espaço. Os fatores que influenciam na elaboração de um layout são:

  • O perfil de atividades do centro de distribuição;
  • A definição e a configuração dos processos operacionais;
  • A configuração dos sistemas de movimentação de materiais e armazenagem;
  • As metas de desempenho.

Não importa o tamanho ou a complexidade do centro de distribuição, os princípios básicos que regem o layout são: critérios de projetos, tecnologia de manuseio e plano de armazenagem. Na prática, um bom layout ajuda na organização dos produtos, equipamentos e estruturas internas. Além disso, gera as seguintes vantagens:

  • Reduz o prazo de entrega de produtos;
  • Melhoria do acesso das transportadoras as cargas;
  • Reúne em um mesmo setor, os produtos que são expedidos juntos;
  • Posiciona os itens com maior demanda nas proximidades da saída do CD;
  • Gerencia com eficiência os espaços de acordo com o tamanho e o volume dos itens;
  • Organiza os corredores para facilitar a circulação de pessoas e máquinas.

Já com respeito aos tipos de layouts, podemos destacar:

  • Por produto ou em linha – as máquinas permanecem fixas e alocadas de acordo com a sequência das operações. Enquanto as mercadorias são movimentadas entre os equipamentos por meio de trajetos pré-definidos;
  • Por processo ou celular – as máquinas são agrupadas segundo o tipo de operação;
  • Posicional ou combinado – a mercadoria é movimentada pelos operadores e pelas máquinas;
  • Fluxo em “U” – os produtos chegam pelo recebimento, seguem pela estocagem nos fundos do depósito e terminam na área de expedição – localizada perto do setor de recebimento;
  • Fluxo em “I” – o fluxo de mercadorias atravessa o centro de distribuição. Nesse modelo de layout, não há uma área de estocagem, pois os produtos não ficam muito tempo no CD. Sendo assim, o fluxo em “I” é indicado para operações que são feitas em instalações de crossdocking – nas quais o período de pico do recebimento e da expedição acontecem ao mesmo tempo;
  • Fluxo modular – é ideal para centros de distribuição que tem operações complexas e em larga escala. Nesse cenário, as demandas individuais necessitam de espaços dedicados e projetados para as suas necessidades específicas.

Qual a diferença entre centro de distribuição e armazém?

Muitos acreditam que o centro de distribuição e o armazém são termos que se referem à mesma estrutura. No entanto, existem diferenças entre elas. No caso do centro de distribuição, o foco das atividades é o consumidor final.

Sendo assim, o CD atua como uma ponte entre os fornecedores e os clientes. Percebemos isso nos centros de distribuição das empresas varejistas do e-commerce. Para esses locais, as lojas virtuais enviam seus produtos que, por fim, são entregues aos consumidores.

Outra peculiaridade do CD são as tecnologias que realizam toda a gestão da cadeia de processos. Dessa forma, as mercadorias são alocadas e movimentadas com eficiência. O objetivo é reduzir custos, otimizar demandas e satisfazer os clientes.

Por outro lado, o armazém é uma estrutura mantida pela empresa para a guarda de materiais e insumos de produção. Ao contrário do centro de distribuição, a movimentação no armazém é mais lenta e menos complexa. Sendo assim, as atividades do armazém são mais voltadas para um negócio e não para ser um elo entre fornecedores e clientes.

Importância e principais vantagens

Sem dúvidas, o centro de distribuição é uma ferramenta estratégica para a cadeia de demandas das empresas do setor de logística. Mas quais são as principais vantagens obtidas com o CD? A seguir, elencamos algumas.

Estoques

O centro de distribuição permite que o estoque fique bem centralizado. Dessa forma, todas as demandas são executadas em um mesmo local, melhorando o controle e o gerenciamento da logística de armazenagem.

Localização

Quando localizado estrategicamente, o centro de distribuição facilita os serviços de entrega da empresa. O ideal é que seja endereçado próximo a importantes troncos rodoviários e centros urbanos. Além disso, a proximidade com clientes e fornecedores é fundamental.

Economia

Com uma boa estrutura e localização, o centro de distribuição reduz gastos com transporte, frete, serviços de entrega, aluguel de outros locais ou a necessidade de obras de reforma na sede da empresa.

Movimentação

Principalmente no comércio eletrônico, a movimentação de produtos precisa ser otimizada. Para isso, a empresa pode contar com o centro de distribuição. Para que entregue bons resultados o CD precisa de um layout bem planejado, tecnologias e mão-de-obra qualificada.

5 dicas para otimizar seus processos no centro de distribuição

Vez por outra, é importante que a empresa revise os processos de como funciona um centro de distribuição para verificar a necessidade de uma otimização. Mas o que pode ser feito para melhorar as demandas do CD durante essa análise? Vejamos algumas dicas.

1.Controle a qualidade

O centro de distribuição deve ter indicadores de desempenho (KPIs) para mensurar o nível de qualidade dos processos. Esse acompanhamento evitará uma queda na eficiência do CD, impactando de forma negativa a lucratividade e o relacionamento com o consumidor.

2.Reposição de produtos

Outra análise importante é o tempo de reposição de mercadorias. Caso esse período não seja adequado, o CD terá gargalos entre a oferta e a demanda de produtos. Para evitar isso, é necessário a elaboração do ciclo de vida do pedido, ou seja, estratégias para melhorar as etapas de movimentação das mercadorias.

3.Profissionais

O centro de distribuição precisa de mão-de-obra especializada no manuseio de equipamentos e tecnologias, bem como no gerenciamento de estoques. É importante também que as equipes recebam treinamentos regulares sobre ferramentas, técnicas e procedimentos atualizados com as tendências da área de logística.

4.Tecnologias

As tecnologias são essenciais para o sucesso das atividades do centro de distribuição. Seja no recebimento, na armazenagem de itens, picking ou movimentação de cargas, as ferramentas virtuais otimizam, automatizam e analisam a qualidade das demandas.

5.Gestão de entregas

Podemos dizer que a gestão de entregas é uma das atividades mais importantes para que se entenda como funciona um centro de distribuição. Para que não aconteçam atrasos no envio de mercadorias aos clientes, é necessário um bom alinhamento entre as datas de recebimento de fornecedores, solicitação e entrega de pedidos aos clientes.

Como vimos, o funcionamento de um centro de distribuição é algo complexo que envolve a sintonia entre várias demandas. Porém, com as estratégias e tecnologias certas, a empresa pode ter sucesso com o seu CD. O resultado de práticas eficientes é o aumento da competitividade e da base de consumidores do negócio.

O que achou do nosso artigo? Entendeu como funciona um centro de distribuição? Gostou das dicas? Agora, queremos apresentar um sistema completo para as necessidades de um CD. Conheça o Software de Gestão de Logística da Benner!