Benner Software de gestão para revolução do seu negócio

O jurídico corporativo já não funciona como antigamente. Embora muitas vezes ainda seja associado à imagem de burocracia e processos morosos, o setor tem sofrido grandes transformações nos últimos anos.

Isso porque, hoje em dia, já não basta aos profissionais da área saber apenas os conhecimentos técnicos e legais. É preciso ir além: ter noções de gestão, agir com estratégia e pensar no jurídico como setor crucial para os bons resultados de uma empresa.

Dessa forma, junto a essa mudança, a transformação digital tem trazido novos desafios ao jurídico corporativo. Métodos manuais de trabalho, procedimentos lentos e processos burocráticos já não cabem no setor jurídico de hoje. É preciso eficiência, alto desempenho e adoção de tecnologias.

Ou seja, com as exigências do mercado, é preciso tornar o jurídico corporativo mais eficaz e estratégico. E, para isso, ressignificar o departamento é imprescindível. Quer entender melhor sobre isso? Então, continue a leitura e veja como otimizar o jurídico da sua empresa!

Como o departamento jurídico atua hoje em dia?

Fazer o trâmite das ações judiciais, solucionar demandas jurídicas e monitorar escritórios terceirizados. Se é isso que vem à sua mente ao pensar em um departamento jurídico, é preciso se atualizar.

Muito menos operacional e muito mais estratégico, hoje o jurídico corporativo deve atuar em busca dos objetivos organizacionais. Para isso, muitas vezes atua ao lado da presidência da empresa, como em um processo de consultoria preventiva.

Além disso, com a adoção de recursos digitais, softwares e tecnologias avançadas, como Inteligência Artificial, o jurídico corporativo transfere as funções mais operacionais e repetitivas às ferramentas, encarregando-se de funções que realmente exigem a inteligência e a intervenção humanas.

Nesse contexto, além do conhecimento técnico, o departamento jurídico absorve outras demandas, como:

  • Avaliação sobre entrada da empresa em novos segmentos do mercado;
  • Assessoria sobre a aquisição de novas empresas;
  • Análise legal do processo de internacionalização da empresa;
  • Gestão de riscos, conflitos e pessoas;
  • Análise e elaboração de estratégias para construir uma reputação positiva da empresa;
  • Definição de políticas internas para garantir segurança da informação;
  • Integração com outros setores da empresa — como recursos humanos, finanças, marketing, recuperação de crédito, gestão de acordos, entre outros.

Como tornar o jurídico corporativo mais eficaz?

Com as novas funções e exigências no jurídico corporativo, parece ser um grande desafio garantir eficácia em sua atuação, não é? Contudo, existem algumas boas práticas que ajudam muito nesse processo. Veja a seguir!

Assuma uma postura proativa

O jurídico corporativo não se limita mais à resolução de problemas depois que eles já aconteceram. Uma atuação reativa pode ser bastante prejudicial, pois, além de gerar gastos e prejuízos que poderiam ser evitados, pode afetar negativamente a imagem da empresa.

Dessa forma, é preciso tornar a atuação mais proativa. 

O jurídico deve mostrar, por exemplo, os riscos de uma operação para evitar contencioso e ter iniciativa de ir em busca de tendências que possam otimizar o setor.

Crie uma política de compliance

Uma política de compliance assim como uma governança corporativa são práticas essenciais para tornar o setor mais eficaz.

Com elas, você deixa a empresa sempre em conformidade com as normas, evitando irregularidades que podem trazer prejuízos. Também melhora o fluxo dos processos, tornando-os mais transparentes e confiáveis, além de reduzir riscos e gargalos.

Integre os setores da empresa

Para integrar os setores da empresa, faça reuniões periódicas para planejar algumas ações necessárias, tais como:

  • Definição de metas de encerramento de processos;
  • Gerenciamento de riscos na provisão;
  • Criação de ações preventivas e preditivas com o uso de jurimetria;
  • Análise de viabilidade de operações e acordos.
  • Gestão dos Contratos;

Além disso, o jurídico corporativo também pode atuar prestando consultoria aos demais setores, a fim de manter a regularidade de questões financeiras, tributárias, trabalhistas etc.

Gerencie processos e documentos

Um jurídico corporativo eficaz precisa de um bom gerenciamento. O controle de dados e informações, por exemplo, pode ser feito por meio de relatórios, gráficos e dashboards, que ajudam o profissional a acompanhar mais de perto os processos e a situação jurídica da empresa.

O bom gerenciamento de documentos também é fundamental para evitar perda de tempo buscando informações em arquivos impressos. Uma boa solução para isso são softwares e tecnologia em nuvem, que facilitam o acesso e o armazenamento dos documentos.

Estabeleça as melhores parcerias

Para que o jurídico corporativo consiga atender todas as demandas com eficácia, pode ser necessário contar com parcerias. O outsourcing, por exemplo, com a solução de BPO jurídico, ajuda a descentralizar atividades administrativas, como:

  • Cadastro de Processos com o uso da IA;
  • Gestão de Subsídios;
  • Geração de Acordos Extrajudiciais;
  • Conciliação de Depósitos através do uso de tecnologia e automação;
  • Cálculos Judiciais;
  • Prepostos Profissionais;
  • Entre outros.

Assim, uma parceria como essa contribui para um ganho de produtividade do setor, agilidade nas demandas processuais, organização de processos, além da possibilidade do jurídico focar em assuntos relacionados ao core business da organização.

Garanta uma boa comunicação

A fim de tornar um jurídico corporativo eficaz, é imprescindível ter uma boa comunicação interna e externa. Internamente, o setor deve atuar garantindo o alinhamento entre os vários departamentos da empresa, resolvendo conflitos e prevendo ações integradas.

Para isso, uma comunicação assertiva é fundamental. Da mesma forma, com parceiros externos, clientes e fornecedores, é preciso que o jurídico se comunique sempre de forma transparente, confiável e clara. Tudo isso evita conflitos e gargalos.

Acompanhe os KPIs jurídicos

Utilizar indicadores de desempenho é essencial para uma atuação focada em resultados. Alguns KPIs que podem ser adotados pelo jurídico corporativo são:

  • Quantidade de processos da demanda contenciosa;
  • Evolução do andamento dos processos;
  • Volume de demandas judiciais;
  • Tempo gasto para o setor atender a uma demanda;
  • Número de contratos ativos, encerrados e vencidos.
  • Entrada de Processos e ou Contratos no período;

Tudo isso auxilia o setor a atuar com base em dados para, assim, tomar decisões mais estratégicas e acertadas.

Conte com um software jurídico

Por fim, em um setor dinâmico, com alto volume de dados e muitas demandas, o que não pode faltar é a adoção de tecnologias. Quando o assunto é eficiência, um software de gestão jurídica, por exemplo, é essencial para automatizar uma série de tarefas como:

  • Controle de prazos;
  • Gestão do Contencioso de massa;
  • Gestão de contratos;
  • Digitalização de documentos;
  • Padronização de procedimentos internos;
  • Cálculos judiciais;
  • Gestão de audiências;
  • Captura de processos;
  • Seguro garantia;
  • Jurimetria e Analytics.

Essas são algumas práticas para tornar o jurídico corporativo mais eficaz. Tudo isso traz inúmeros benefícios para a empresa, como redução de custos, melhora da produtividade, diminuição de burocracias, entre outros.

Mas lembre-se: para que tudo isso seja possível, é fundamental contar com a tecnologia. Logo, para tornar sua atuação ainda mais estratégica, aproveite para baixar nosso e-book gratuito e veja como melhorar o desempenho do seu departamento jurídico!