Benner Software de gestão para revolução do seu negócio

Supply Chain é um termo que, traduzido do inglês, significa cadeia de suprimentos. Seu uso é recorrente no segmento logístico e deve ser empregado por qualquer negócio — já que visa atender às principais necessidades e demandas dos clientes.

Na prática, ele abrange:

  • Todos os processos de compra de insumos e produtos;
  • Seu armazenamento e transporte;
  • Embalagem;
  • Gerenciamento interno;
  • Venda e distribuição.

Nesse sentido, suas etapas também devem considerar a infraestrutura e os processos necessários para as operações, bem como atividades adicionais que incluem o atendimento aos consumidores, criação de novos produtos, controle financeiro, marketing, etc.

Podemos destacar que o Supply Chain contempla toda a logística necessária para a movimentação dos produtos. Além disso, ele depende da atuação conjunta de diversos profissionais e organizações, como fabricantes, distribuidores, fornecedores e lojistas.

Para que você saiba como utilizar o conceito em prol de sua empresa, a seguir, saiba mais sobre a importância do Supply Chain. Entenda também a sua relação com a logística, seu funcionamento, método de gerenciamento e principais benefícios! Acompanhe.

Por que a Supply Chain é importante para os negócios?

Todas as variáveis contidas na Supply Chain, têm como objetivo garantir que o produto chegue até os consumidores da melhor maneira possível.

Nesse sentido, a forma com que todos esses processos e responsabilidades são integrados, e continuamente melhorados, diz respeito diretamente aos valores e à qualidade daquilo o que será entregue aos clientes.

Ao visualizar todos os processos como parte de um todo e entender como cada etapa se relaciona entre si, é possível identificar que a cadeia de suprimentos é a responsável direta pela satisfação dos consumidores e pela lucratividade de todas as partes envolvidas.

Além disso, seu gerenciamento possibilita:

  • Mais pontualidade nas movimentações;
  • Qualidade nas entregas;
  • Redução de preços através da otimização de custos;
  • Entre outros fatores fundamentais para agregar mais valor entre os envolvidos na cadeia.

Agora, imagine, por exemplo, que um varejista fique sem estoque de um item muito procurado pela clientela. A consequência direta é a perda de vendas e de lucratividade.

No caso do fabricante, esse tipo de situação faz com que produtos feitos por concorrentes ganhem mais espaço entre os consumidores. Portanto, se sentirão menos satisfeitos com a marca pela falta do item em questão.

Não só esses agentes são prejudicados com esse tipo de falha, como também distribuidores, fornecedores, entre outros presentes na cadeia de suprimentos.

O gerenciamento do Supply Chain visa justamente evitar problemas e otimizar todos os aspectos que garantem preços menores, movimentações mais rápidas, disponibilidade de itens, entre outros pontos fundamentais.

Qual a relação entre Supply Chain e logística?

Pela forma com que o Supply Chain se caracteriza, muitos o confundem com a ideia de logística, mas os conceitos se diferem entre si.

A logística impacta diretamente os negócios ao promover a integração de processos dentro das próprias empresas. Sendo assim, ela é responsável pelas movimentações dos produtos e por todos os documentos ligados às mesmas.

Nessa abordagem, mais do que o transporte, também são delimitadas estratégias para otimizar a logística e tornar os procedimentos mais adequados e rápidos para cada tipo de item. Também são definidas tecnologias para controlar as cargas e descargas, gerenciar riscos e rastrear as movimentações.

Assim como a Supply Chain, os processos logísticos devem garantir que cada produto chegue ao seu destino no prazo adequado, com qualidade e segurança. Porém, a cadeia de suprimentos é mais ampla e abrange todo o fluxo dos itens, bem como sua relação com a empresa e os consumidores.

Em poucas palavras, enquanto a logística visa a compra e o gerenciamento de insumos, transporte e armazenamento, a cadeia de suprimentos é voltada às estratégias aplicadas em todos esses processos.

Pode-se dizer que a logística desempenha uma função imprescindível no Supply Chain. Visto que, o mesmo requer que todos os produtos cheguem na data, na quantidade, nas condições e no local acordados.

Ou seja, caso existam falhas na logística, o Supply Chain será diretamente afetado, e vice-versa. Sendo assim, podemos dizer que ambos se complementam e são partes fundamentais de um todo, formando juntos um processo logístico integrado.

Com o conceito de cadeia de suprimentos e sua relação com a logística em mente, no item seguinte, entenda como o Supply Chain funciona dentro das empresas.

Como a Supply Chain funciona dentro da empresa?

Para garantir qualidade na comercialização de produtos, não basta apenas comprá-los e posicioná-los nas prateleiras para revenda. Cada item passa por diversas etapas antes de chegar até os consumidores.

Primeiro, é preciso conhecer o ciclo de vida das mercadorias. Para garantir a disponibilidade dos produtos, é fundamental saber em quais períodos sua procura é maior, se eles são de pronta-entrega ou sob encomenda e quais os prazos oferecidos pelos distribuidores.

Para controlar todas as variáveis de forma vantajosa para a empresa e seus clientes, o gerenciamento do Supply Chain visa o controle de todos os procedimentos ligados à compra dos itens, seu armazenamento, controle dos pedidos, entregas e eventuais devoluções.

Tenha em mente que cada mercadoria passará por diversas empresas, desde o fabricante, até o fornecedor e o lojista. Quem vende representa mais um elo de toda essa cadeia, com a responsabilidade de repassar o produto até os clientes.

Durante toda a dinâmica, os elementos que compõem o Supply Chain devem ser analisados, para que suas variáveis sejam reconhecidas e possam passar por melhorias.  

Toda a gestão pode ser feita de formas diferentes, de acordo com o porte das empresas, dos modelos de cada negócio e do tipo de mercadoria comercializada. Todavia, é comum que as seguintes etapas sejam respeitadas:

  • Planejamento das compras, feita a partir de previsões de oferta e demanda;
  • Cotação dos fornecedores de produtos ou insumos;
  • Se for o caso, fabricação da mercadoria;
  • Estocagem do produto final;
  • Comercialização e entrega;
  • Se o consumidor solicitar, troca ou devolução do item;
  • Otimização dos processos por meio da coleta de informações, seja através de avaliações ou feedbacks nos canais de atendimento.

Mas afinal, o que é gestão de Supply Chain?

Como a Supply Chain envolve diversos processos, responsabilidades e agentes, as empresas precisam dispor de recursos que possibilitem seu gerenciamento de ponta a ponta.

Por isso, a gestão da cadeia de suprimentos, ou Supply Chain Management (SCM), serve justamente para viabilizar os melhores meios de gerenciar todas as operações envolvidas.

Por conta da sua complexidade, que exige o controle de funções interligadas e de tipos distintos, é fundamental o uso da tecnologia da informação no SCM.

Com esse tipo de recurso, as empresas podem integrar seus diferentes canais de distribuição e melhor organizar o sequenciamento das operações logísticas.

Além disso, o Supply Chain Management serve para integrar as diferentes etapas que fazem parte da cadeia de suprimentos — e é a tecnologia que possibilita que seu uso seja muito mais profundo e relevante do que um gerenciamento logístico simples.

De forma resumida, o SCM serve para compreender e otimizar as funções que vão desde a confecção do produto até sua venda. Enquanto a logística em si, apenas delimita os processos internos de movimentação, ignorando outros segmentos.

Um bom Supply Chain Management também não conta com uma única forma para ser realizado, no entanto algumas dicas são indispensáveis para garantir que ele seja eficiente. Confira:

Defina indicadores

Na cadeia de suprimentos, os setores de distribuição, fornecimento e varejo devem ser administrados de forma conjunta. Para isso, os gestores devem ter dados concretos para apoiar suas decisões. Do contrário, as ações serão feitas com base em achismos.

Logo, ao estabelecer indicadores para o Supply Chain, é possível adotar medidas baseadas em informações confiáveis e mensuráveis.

A ideia é que sejam coletados dados relacionados ao desempenho de cada setor, para que o cotidiano das operações seja monitorado e isso sirva como base para que a empresa realize ações de melhorias, a fim de sanar as necessidades e demandas dos clientes.

Utilize uma boa solução de Supply Chain

Como mencionamos anteriormente, o Supply Chain Management depende de boas tecnologias para lidar com sua complexidade de informações.

Por meio de um bom sistema, diversas funções podem ser automatizadas, assim como dados sobre vendas e estoques podem ser obtidos de forma imediata, em tempo real.

Isso permite, por exemplo, que os pedidos de novas mercadorias sejam feitos com base nos volumes de itens em estoque, tornando as reposições mais assertivas.

Além disso, o próprio software descreve como é a situação atual da cadeia de suprimentos — dispensando estudos mais complexos e demorados.

Graças a relatórios intuitivos e dashboards que demonstram a realidade de toda a cadeia, é possível estabelecer ações para melhorar o gerenciamento das categorias de produtos e até para melhorar o mix.

Crie uma cadeia de valor

O conceito de cadeia de valor é intimamente ligado ao de Supply Chain: ele representa o conjunto de ações realizadas por uma organização, que vão desde sua relação com fornecedores e meios de produção, até a venda e distribuição dos produtos.

Logo, a manutenção da cadeia de valor depende do uso inteligente de indicadores e de recursos tecnológicos para apoiar decisões e melhorias — conforme as dicas que abordamos até aqui.

O grande diferencial da criação de uma cadeia de valor está justamente na forma com que essas responsabilidades se inserem no dia a dia corporativo. Seu objetivo é que a tomada de decisões seja uma parte presente e recorrente de todos os processos internos.

Para isso, é necessário que todos os procedimentos de gerenciamento do Supply Chain sejam definidos detalhadamente. Assim, com fluxos bem definidos e ferramentas para avaliar o desempenho de cada indicador, é possível saber com exatidão quando uma nova ação ou melhoria é necessária, mesmo em casos de ajustes finos.

Construa uma boa relação com os fornecedores

Por fim, não adianta adotar as medidas mencionadas até aqui se todos os envolvidos na cadeia de suprimentos não estiverem alinhados às suas práticas de gestão.

Os fornecedores devem estar preparados para lidar com seu Supply Chain. Por isso, em alguns casos, é preciso investir em tecnologias para adequação ou mesmo trocar certos parceiros, a fim de garantir que a gestão integre-se a todas as etapas de cada processo.

Quais as vantagens de uma gestão de Supply Chain eficiente?

Ao estabelecer um gerenciamento de Supply Chain eficiente, uma série de benefícios podem ser garantidos pelas empresas. Os principais deles são:

  • Aprimoramento dos serviços, já que os produtos estarão sempre disponíveis e serão entregues no prazo previsto;
  • Redução de custos operacionais, uma vez que serão adquiridos e utilizados apenas os insumos corretos e tarefas redundantes são eliminadas;
  • Redução de estoque, pois a previsibilidade de demanda faz com que a ocupação desnecessária dos espaços do armazém deixa de existir;
  • Diminuição de falhas operacionais, já que todos os processos são mapeados e podem ter eventuais erros corrigidos com mais celeridade;
  • Melhor acompanhamento de toda a cadeia, que pode acontecer inclusive em tempo real com o uso da tecnologia!

Como vimos, o conceito de Supply Chain deve ser conhecido e colocado em prática para garantir os melhores resultados dentro de uma empresa. Afinal, seu uso abrange desde os insumos e serviços básicos até os diferentes canais de distribuição e entrega final do produto aos clientes!

Reconhecendo as necessidades dos empreendedores na área, a Benner oferece soluções para todas as fases da gestão da cadeia de suprimentos.

Com um workflow completo, recursos de Business Intelligence e conjuntos pré-determinados e configuráveis de indicadores, garantimos um monitoramento completo das operações de ponta a ponta.

Assim, você garante mais controle, qualidade e precisão desde a compra de materiais, planejamento e roteirização, até a gestão de pátio, do estoque, gestão de transportes e da entrega. 

Tudo pode ser controlado através de um dashboard moderno e intuitivo, que possibilita uma análise em tempo real dos resultados do seu negócio!

Quer saber ainda mais sobre a relevância do Supply Chain no mercado moderno? Então acesse o e-book exclusivo da Benner e conheça os principais desafios do setor logístico para 2020.